CNC

Fabiola Gianotti recebe Prémio Helena Vaz da Silva 2019

A cerimónia de atribuição do Prémio Europeu Helena Vaz da Silva para a Divulgação do Património Cultural 2019 decorreu, em Lisboa, no passado dia 25 de novembro.

Este reconhecimento presta homenagem à contribuição de Fabiola Gianotti para a divulgação da cultura científica de uma forma atrativa e acessível.

Este ano, o Júri do Prémio – composto por especialistas independentes nos campos da cultura, património e comunicação de vários países europeus – decidiu também atribuir Menções Especiais a duas outras personalidades europeias que se distinguem no campo da cultura: o Diretor do Royal Danish Theatre Kasper Holten, pelos seus incansáveis esforços para promover a compreensão do património cultural, e o italiano Angelo Castiglioni, que dedicou a sua vida a explorações arqueológicas e etnográficas.

A cerimónia contou com as intervenções de:
– Guilherme d’Oliveira Martins [Administrador da Fundação Calouste Gulbenkian]
– Maria Calado [Presidente do Centro Nacional de Cultura]
– Piet Jaspeart [membro do júri deste Prémio e Vice-Presidente da Europa Nostra]
– Irina Subotic [membro do júri deste Prémio]
– Manuel Heitor [Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
– Ângela Ferreira [Secretária de Estado Adjunta e do Património Cultural]

Prémio Europeu Helena Vaz da Silva para a Divulgação do Património Cultural, instituído em 2013 pelo Centro Nacional de Cultura (CNC) em cooperação com a Europa Nostra e o Clube Português de Imprensa, recorda a jornalista portuguesa, escritora, ativista cultural e política (1939 – 2002), e a sua notável contribuição para a divulgação do património cultural e dos ideais europeus. É atribuído anualmente a um cidadão europeu cuja carreira se tenha distinguido pela difusão, defesa, e promoção do património cultural da Europa, quer através de obras literárias e musicais, quer através de reportagens, artigos, crónicas, fotografias, cartoons, documentários, filmes de ficção e programas de rádio e/ou televisão.

O Prémio conta com o apoio do Ministério da Cultura, da Fundação Calouste Gulbenkian e do Turismo de Portugal.

O escritor italiano Claudio Magris foi o primeiro laureado do Prémio Europeu Helena Vaz da Silva em 2013; o escritor turco e Prémio Nobel da Literatura Orhan Pamuk foi distinguido em 2014; o músico catalão Jordi Savall foi premiado em 2015; o cartoonista francês Jean Plantureux, conhecido como Plantu, e o ensaísta português Eduardo Lourenço venceram ex aequo a edição de 2016 do Prémio; em 2017, o cineasta Wim Wenders foi o vencedor e em 2018 a vencedora foi a historiadora inglesa Bettany Hughes.

Reportagem RTP:

Fotogaleria:

Entrevista a Fabiola Gianotti, no programa As Horas Extraordinárias da RTP [29nov2019]

Subscreva a nossa newsletter