Cursos Livres Cursos Online

Orgulhosamente sós? Um mito e um equívoco

Abertas inscrições para o curso online, coordenado por João Paulo Oliveira e Costa, a decorrer durante o mês de dezembro de 2020

A 18 de fevereiro de 1965, num discurso sobre a guerra colonial e a falta de apoio dos seus aliados, Salazar proferiu uma expressão que ficou célebre quando disse que os soldados portugueses combatiam “orgulhosamente sós”. Esta afirmação tornou-se um símbolo do isolamento do seu regime, mas depois foi considerada frequentemente como uma referência que ilustrava a história secular do país, que teria vivido de costas voltadas para a Europa e de olhos virados para o mar. Na verdade, Salazar retomava uma velha prática da autointerpretação de Portugal, pois desde as primeiras crónicas do reino, a narrativa dos acontecimentos nunca tinha em consideração a influência dos interesses externos sobre as decisões dos governantes de Portugal.

Neste curso, ao longo de cinco sessões, procuramos mostrar como Portugal, desde a sua fundação, se assumiu como um membro ativo da comunidade internacional, e como muitos episódios importantes da história do país se explicam em função de um jogo de interesses internacional de que Portugal era coparticipante.

1.ª sessão – A afirmação do país (séc. XII-XIV)
2.ª sessão – A diplomacia dos séculos XV e XVI – neutralidade e pro-atividade
3.ª sessão – Portugal um país do Renascimento
4.ª sessão – Pragmatismo, inovação e resiliência no tempo dos Braganças
5.ª sessão – Portugal no mundo contemporâneo

Todas as sessões do curso serão gravadas e disponibilizadas aos participantes inscritos, no canal Youtube do CNC.

Coordenação: João Paulo Oliveira e Costa
Duração: 5 sessões (dias 7, 9, 16, 17 e 21 de dezembro), das 18h30 às 20h00
Preço: 100€ sócios | 120€ não sócios

Para mais informações contactar Alexandra Prista
Tel.: 965 271 877 | E-mail: divulgacao@cnc.pt


Imagens relacionadas:

Obra de Pedro Nunes publicada em Antuérpia e cartas de Luís Fróis publicadas em Roma (Séc. XVI)

Catarina de Bragança e Carlos II de Inglaterra
– a força de uma aliança centenária a sobrepor-se ao cisma entre católicos e protestantes

NATO – A aliança militar atlântica de que Portugal foi cofundador, em 1949, junto com 11 regimes democráticos
– a força de uma posição geo-estratégica incontornável a sobrepor-se aos princípios políticos

Subscreva a nossa newsletter