Notícias

Ver pela Arte :: NOTÍCIAS RELACIONADAS

– A recentemente criada Rede de Teatros com Programação Acessível pretende apresentar uma oferta regular de espectáculos com audiodescrição e com interpretação em Língua Gestual Portuguesa. Desta forma, irá melhorar as condições de acesso à sua programação para pessoas com deficiência visual e para o público Surdo. Além de criar melhores condições de acesso à programação cultural fora dos dois grandes centros urbanos, Lisboa e Porto, esta rede irá ainda permitir uma melhor colaboração e partilha de recursos entre os seus membros, que são:

•           A Oficina (Guimarães)
•           Cine-teatro Louletano (Loulé)
•           Teatro do Noroeste – Centro Dramático de Viana (Viana do Castelo)
•           Teatro Municipal Baltazar Dias (Funchal)
•           Teatro Municipal da Guarda

Atividades para públicos com necessidades especiais
Em 2018, com o apoio da Associação Mutualista Montepio, o Centro Nacional de Cultura abriu alguns dos seus “Passeios de Domingo” à participação de pessoas cegas e surdas.
Dado o sucesso da iniciativa, em 2020 damos continuidade à programação de passeios acessíveis, em colaboração com a Locus Acesso.
Durante a pandemia, os passeios acessíveis estão suspensos. Esperamos, muito brevemente, voltar a contar com todos nas nossas visitas!

Revista da Pró-Inclusão – Associação Nacional de Docentes de Educação Especial 
Vol. 11, N.º 1 – junho 2020
Revista a pensar no que precisam e gostam todos aqueles que se preocupam em tornar a Inclusão um Direito Humano. Esta nossa “oferta” é também um tributo de gratidão a todos os nossos compatriotas que não desistem de fazer o melhor que sabem e podem a favor do “outro” e da nossa vida coletiva.
>> Leia aqui a revista

Era uma vez… um livro para as crianças que não vêem
Associação Nacional de Intervenção Precoce lançou o primeiro livro multissensorial. A expectativa é que haja uma segunda edição, mas para isso é preciso financiamento. >> Folha de Sala | >> + info

– Visitar o Museu Grão Vasco às cegas – “É possível ver sem ver”
Já imaginou como seria visitar um museu e não poder ver as exposições porque é cego? O Museu Grão Vasco, no adro da Sé de Viseu, vai permitir, ao longo deste ano, que cegos e não cegos partilhem a mesma experiência. De espectador a ouvinte, o objetivo é tornar a cultura acessível a todos. >> + info

– Projeto Integrar pela Arte
O MEF – Movimento de Expressão Fotográfica, é uma Associação que trabalha na área da imagem, com o particular destaque da Fotografia. O seu objetivo é a sensibilização do grande público para a Arte Fotográfica e para o uso da imagem enquanto estímulo artístico. Tem dedicado uma parte substancial do seu trabalho desenvolvendo ações de formação visando públicos que, por norma, tendem a não usufruir das mesmas oportunidades que o cidadão comum, como por exemplo pessoas social e/ou economicamente carenciadas, ou portadoras de algum tipo de deficiência/limitação. >> + info 

– Biblioteca Nacional lança plataforma para partilha de livros acessíveis a invisuais
Existem “14 mil volumes em braille, que podem ser requisitados, em papel, correspondentes a cerca de quatro mil títulos, dois mil volumes de partituras musicais, 400 livros em formato digital braille, 2200 livros em registo sonoro, que correspondem a mais de 20 mil horas de gravação, e cerca de dois mil títulos em texto digital”, como confirma Carlos Ferreira, responsável pela área de leitura para deficientes visuais da BNP. >> + info 

– Tecnologia: uma bengala eletrónica que é um ensaio contra a cegueira
Investigadores da Universidades de Trás-os-Montes e Alto Douro e do Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência desenvolvem tecnologia para cegos há dez anos. Bengala eletrónica com sistema de visão artificial pode ser comercializada em breve. E os potenciais utilizadores já testaram. >> + info 

– Subir às ameias ou ouvir o que não se vê tem de ser possível para todos. Onze projetos, públicos e privados, querem tornar a oferta turística nacional mais acessível a quem tem problemas de mobilidade. >> + info 

– Santuário de Fátima lança aplicação que ajuda peregrinos deficientes visuais a visitar o seu espaço. >> + info 

– Dialogue in the Dark – Exposição no escuro conduzida por pessoas cegas vence prémio Mariano Gago

– Fala-me de música – Um projeto que constitui uma forma alternativa de aprendizagem, e um estímulo, para quem pretender desenvolver os seus estudos na área da música.

Coordenação

Patrocínio

Subscreva a nossa newsletter