Home Sobre nós Serviços Novos sócios Bolsas Mecenas Contactos English Français
"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"
Helena Vaz da Silva LER BIOGRAFIA

A Vida dos Livros

Semanalmente, poderá encontrar a escolha de um livro por Guilherme d’Oliveira Martins. 
UM LIVRO POR SEMANA
10 Jul 2006 - Quando está a terminar a apresentação pública da exposição “A Aventura da Moraes” no CNC recordamos o livro “Opressão e Liberdade” de Simone Weil, publicado em 1964, pela Moraes, na colecção “Círculo do Humanismo Cristão”, com tradução de Maria de Fátima Sedas Nunes (Maria Velho da Costa). É a primeira obra de Simone Weil publicada em língua portuguesa e permite um contacto directo com a reflexão da mística, pensadora e activista política.
> Ler mais
UM LIVRO POR SEMANA
03 Jul 2006 - Monique Canto-Sperber é autora de “L’Inquietude Morale et la Vie Humaine” (Presses Universitaires de France, 2002), obra onde chama a atenção, com argumentos de hoje, para a necessidade da valorização da filosofia moral. É preciso regressarmos à tarefa mais antiga da filosofia: pensar a vida humana. A singularidade, a contingência dos acontecimentos, a certeza da morte, a presença do passado e a irreversibilidade do tempo obrigam ao exame filosófico da condição humana.
> Ler mais
UM LIVRO POR SEMANA
26 Jun 2006 - No último fim-de-semana o CNC andou na peugada de Passos Manuel, com as “Viagens na Minha Terra” de Almeida Garrett (1ª edição, 1846) nas mãos. São quarenta e nove capítulos de um folhetim romântico, cuja originalidade está na linguagem comum que usa e na ligação entre o relato de uma viagem e a narrativa de uma história trágica sobre a guerra civil que dividiu o país de 1828 a 1834, e de que o autor também foi protagonista.
> Ler mais
UM LIVRO POR SEMANA
19 Jun 2006 - Quem não recorda com fascínio a leitura das “Viagens” de Marco Polo? É delas que vos falo hoje, na tradução de Ana Osório de Castro, com prefácio de António Osório (Assírio & Alvim, 2006). E lembremos o que diz o início desse livro mágico: “quero que saibam que desde que Deus fez Adão nosso primeiro pai até ao dia de hoje, nem cristão nem pagão, sarraceno ou tártaro, nem nenhum homem de nenhuma geração viu, nem explorou tantas maravilhosas coisas do mundo, como fez o senhor Marco Polo”.
> Ler mais
UM LIVRO POR SEMANA
12 Jun 2006 - Da autoria de J.J. Gomes Canotilho acaba de ser publicada a obra «“Brancosos” e Interconstitucionalidade – Itinerários dos Discursos sobre Historicidade Constitucional» (Almedina, 2006) uma reunião de textos que nos permite interrogarmo-nos sobre os temas difíceis da legitimação política. O título só parecerá estranho aos mais distraídos, uma vez que parte da intriga de José Saramago no seu “Ensaio sobre a Lucidez”.
> Ler mais
UM LIVRO POR SEMANA
05 Jun 2006 - “Religiões – História, Textos, Tradições”, coordenado cientificamente por Paulo Mendes Pinto, sob a supervisão da Estrutura de Missão para o Diálogo com as Religiões, dirigida pelo Padre Miguel Ponces de Carvalho (Paulinas, 2006) vem preencher uma importante lacuna no panorama cultural português. O projecto “Religare” visa promover um melhor conhecimento mútuo e do aprofundamento do fenómeno religioso.
> Ler mais
UM LIVRO POR SEMANA
29 Mai 2006 - Maria Filomena Molder acaba de publicar “O Absoluto que pertence à Terra” (Vendaval, 2006). Estamos diante de um conjunto de ensaios sobre Hermann Broch (1886-1951), onde o autor austríaco é-nos revelado na sua inteireza e complexidade. E através do percurso difícil do autor de “Sonâmbulos” e de “A Morte de Virgílio” somos levados a compreender que “o pensamento do homem espiritual, o pensamento crítico, está votado a uma antinomia sem dialéctica resolúvel: mina, destrói os alicerces (...)”
> Ler mais
UM LIVRO POR SEMANA
22 Mai 2006 - Em Maio de 1871, há 135 anos, iniciaram-se as Conferências do Casino Lisbonense, no Largo da Abegoaria. Recordamos, assim, Antero de Quental, principal animador do evento, através das “Prosas Sócio-Políticas”, publicadas e apresentadas por Joel Serrão (Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1982). O brado deveu-se à intenção de debater ideias novas, capazes de lançar o país numa via de evolução, e progresso.
> Ler mais