Home Sobre nós Serviços Novos sócios Bolsas Mecenas Contactos English Français
"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"
Helena Vaz da Silva LER BIOGRAFIA

A Vida dos Livros

Semanalmente, poderá encontrar a escolha de um livro por Guilherme d’Oliveira Martins. 
UM LIVRO POR SEMANA
“Em Busca da Lisboa Árabe” da autoria de Adalberto Alves (CTT, Correios, 2007) é um roteiro que permite tomarmos contacto com as reminiscências árabes de uma cidade cuja história só pode ser compreendida pela consideração dessa influência marcante. E é muitas vezes surpreendente verificar em que medida encontramos marcas e sinais que permitem demonstrar como o “cadinho” cultural português abarca uma grande diversidade de factores e elementos, entre os quais avultam as componentes cristã, muçulmana, moçárabe e judaica.
> Ler mais
UM LIVRO POR SEMANA
“Os Vencidos da Vida” (Fronteira do Caos, 2006) é uma antologia de textos de e sobre onze personalidades marcantes da vida nacional que nos últimos doze anos do século XIX se evidenciaram na tentativa de regeneração de Portugal. Normalmente, o seu exemplo é apontado como um sinal de desalento e de impossibilidade, mas se nos ativermos aos elementos mais marcantes do grupo – Eça de Queiroz, Oliveira Martins e Ramalho Ortigão – poderemos verificar que há, no essencial, uma recusa de fatalismo e de qualquer ideia de condenação inexorável e trágica do país ao atraso.
> Ler mais
UM LIVRO POR SEMANA
Em “Valsas nobres e sentimentais” de Frederico Lourenço (Cotovia, 2007) estamos diante de uma reunião de crónicas extraordinariamente estimulantes. Com inteligência e humor, podemos usufruir de testemunhos e reflexões, desde a música ao modo de dizer, passando pela literatura e pelos escritores e, naturalmente, pela antiguidade clássica.
> Ler mais
UM LIVRO POR SEMANA
Hoje referimo-nos a Jan Patocka (1907-1977), um dos grandes filósofos checos do século XX, cujo centenário ocorre dentro de dias, a propósito de um conjunto de doze ensaios publicados sob o título «L’Écrivain, son ‘objet’» (Presses Pocket, 1992). Nascido em Turnov, viveu a maior parte da sua vida de estudioso, como um dos mais fecundos seguidores da escola fenomenologista, na cidade de Praga, com excepção de curtos períodos em Paris, no final dos anos vinte, e em Berlim e Friburgo no início da década de trinta.
> Ler mais
UM LIVRO POR SEMANA
“Ser Professor” de Rómulo de Carvalho, organizado por Nuno Crato (Gradiva, 2006) é uma antologia de textos de pedagogia e didáctica que merece ser lida com especial atenção por todos, a começar pelos educadores. Num tempo em que há muitas dúvidas sobre o ensinar e o aprender, em virtude de haver mudanças radicais no mundo que nos cerca e nas responsabilidades das escolas, é fundamental ouvir um professor experimentado, com uma forte preocupação com o rigor e a exigência, a dizer-nos que a relação entre quem ensina e aprende apenas pode ser eficaz se houver trabalho, disciplina e clareza nos objectivos e nos métodos.
> Ler mais
UM LIVRO POR SEMANA
“Corte na Aldeia” (1619) de Francisco Rodrigues Lobo é uma obra na qual se retrata a situação vivida em Portugal durante a união pessoal com a Espanha (em ebook *). De um modo subtil mas nítido, o autor faz sentir aos leitores do seu tempo a subalternidade a que os portugueses de facto estavam votados em virtude de a independência ser, cada vez mais, apenas formal. Rodrigues Lobo era natural de Leiria, onde nasceu em data incerta, à volta de 1580, devendo ter tido ascendência judaica.
> Ler mais
UM LIVRO POR SEMANA
“Unicórnio, Etc.” foi publicado por ocasião da recente mostra documental da Biblioteca Nacional (2007) sobre as chamadas “antologias de inéditos de autores portugueses contemporâneos” organizadas por José-Augusto França entre 1951 e 1956. Era, naturalmente, uma revista, mas a necessidade de trocar as voltas à censura (“de um país não-legal”) levou o seu principal animador a usar esse subterfúgio de falar de “antologias” e de mudar de título todos os números (“por ideia macaca, de manguito às instituições”), com periodicidade aliás propositadamente irregular. O volumezinho, agora dado à estampa, recorda uma iniciativa que merece especiais atenções.
> Ler mais
UM LIVRO POR SEMANA
Tzvetan Todorov escreveu em 2003 “Le Nouveau Désordre mondial – Réflexions d’un Européen » (Robert Laffont) onde nos apresenta um conjunto de temas da maior pertinência sobre os valores e os desafios contemporâneos para os europeus. Todorov (1939) é um filósofo e linguista búlgaro que, tendo feito a sua carreira académica em França, tem-se preocupado em pôr na ordem do dia um pensamento aprofundado sobre a “nova Europa”, depois do fim da guerra fria, da chegada à democracia das novas nações outrora na esfera do império soviético e dos recentes acontecimentos no Médio Oriente.
> Ler mais