Home Sobre nós Serviços Novos sócios Bolsas Mecenas Contactos English Français
"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"
Helena Vaz da Silva LER BIOGRAFIA

A Vida dos Livros

Semanalmente, poderá encontrar a escolha de um livro por Guilherme d’Oliveira Martins. 
A VIDA DOS LIVROS
«Liberdade e Política Pública de Educação – Ensaio sobre um novo compromisso social pela Educação» de Joaquim Azevedo (Fundação Manuel Leão, 2011) é um conjunto de reflexões sobre a educação e a aprendizagem de alguém que conhece bem esse mundo e que nos propõe, com seriedade, pistas de ação, para além dos lugares comuns e das simplificações que tantas vezes são ouvidas quando se trata destes temas.
> Ler mais
A VIDA DOS LIVROS
Ao visitar Malaca e ao deambular pela Malásia e Indonésia não pudemos deixar de recordar Emílio Salgari (1862-1911), o autor das aventuras de Sandokan, na ilha mítica de Mompracem. O autor italiano notabilizou-se pela escrita fantasiosa de aventuras ocorridas no Bornéu, sendo uma referência indiscutível no desenvolvimento de um imaginário orientalista que dominou as gerações adolescentes da primeira metade do século XX. É curioso que o escritor tenha sentido necessidade de nomear um português para ser o braço direito do herói. Lembramo-nos bem da invocação heroica de António Alçada Baptista em “Peregrinação Interior” da memória dessas leituras juvenis, nas edições da Livraria Romano Torres. Devemos referir que acabam de ser descobertas pranchas de BD inéditas de Hugo Pratt, o autor de Corto Maltese, relativas às aventuras de Sandokan.
> Ler mais
A VIDA DOS LIVROS
«José Bergamin et la France» é uma edição de Ivan López Cabello e Yves Roullière, da responsabilidade da Universidade de Paris-Ouest – Nanterre - la Défense (2008) e dá conta dos ecos franceses da vida e obra dessa personalidade fascinante que foi o grande poeta espanhol, diretor e fundador da revista Cruz y Raya, nascido em 1897 e falecido em 1983.
> Ler mais
A VIDA DOS LIVROS
«D. Pedro V, Um Homem e Um Rei» de Ruben Andresen Leitão (Porto, 1950) é o ponto de partida para as considerações de hoje. De facto, a bibliografia de Ruben A. sobre D. Pedro V merece uma especial atenção, não apenas pela sua qualidade documental, mas sobretudo pelo interesse reflexivo, já que o autor considera ter sido o malogrado rei o primeiro homem moderno que houve em Portugal.
> Ler mais
A VIDA DOS LIVROS
Publicamos hoje o texto saído há duas semanas no JL, dando conta da homenagem prestada em S. Pedro de Rio Seco pelos seus amigos e conterrâneos a Eduardo Lourenço, permitindo-nos remeter para o filme que Anabela Saint-Maurice dedicou ao ensaísta na RTP-2 com a participação, entre outros de Pedro Mexia, de Gonçalo M. Tavares e de Hélia Correia.
> Ler mais
A VIDA DOS LIVROS
Luís Filipe Thomaz acompanhar-nos-á com o seu conhecimento e a sua sabedoria. Levaremos para nos guiar os seus estudos, como «A escravatura em Malaca no século XVI» e «As Cartas malaias de Abu Hayat, Sultão de Ternate, a El-Rei de Portugal – e os primórdios da presença portuguesa em Maluco». Partimos com o entusiasmo de sempre. Desta vez, vamos completar as peregrinações no rasto de Fernão Mendes Pinto e de Francisco Xavier. Quinhentos anos depois da conquista de Malaca (1511), regressamos imbuídos do espírito universalista e moderno do diálogo e do respeito, e, mais do que lembrar o tempo antigo, partimos dessa história rica para o futuro, fieis a Padre António Vieira e ao seu Império do Futuro e às Saudades dele.
> Ler mais
A VIDA DOS LIVROS
«Scoop» de Evelyn Waugh (1903-1966) – 1ª edição, 1938; revista em 1964, Chapman and Hall - é considerado, justamente, como uma das obras-primas da língua inglesa do século XX (há tradução portuguesa, «Enviado Especial», de Luís de Almeida Campos, Bertrand, 1991). Ainda que outros romances do escritor sejam mais conhecidos do grande público, o certo é que neste caso encontramos os ingredientes que caracterizam a originalidade de Waugh – uma capacidade excepcional de usar a sátira, uma leitura muito arguta da realidade social do seu tempo e uma compreensão exacta de que os valores éticos e culturais não se afirmam ou persistem em abstacto, mas sim se forem capazes de vencer a difícil prova da crítica e da severa ironia.
> Ler mais
A VIDA DOS LIVROS
Os amigos do ensaísta, o Centro de Estudos Ibéricos da Guarda e a Associação Rio Vivo realizaram no dia 6 de Agosto em S. Pedro de Rio Seco uma homenagem a Eduardo Lourenço. Foi um momento de especial emoção, em que se inaugurou um pequeno monumento da autoria de Leonel Moura e se invocou o extraordinário percurso do autor de “O Labirinto da Saudade”. E não é de mais recordar que foi a revista “Raiz e Utopia” (título que o Centro Nacional de Cultura mantém) a publicar esse ensaio extraordinário intitulado “Psicanálise Mítica do Destino Português”. Hoje divulgamos as palavras proferidas em S. Pedro de Rio Seco.
> Ler mais