Home Sobre nós Serviços Novos sócios Bolsas Mecenas Contactos English Français
"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"
Helena Vaz da Silva LER BIOGRAFIA

OS PORTUGUESES AO ENCONTRO DA SUA HISTÓRIA - 2018

África Oriental: Tanzânia e Moçambique

25 de agosto a 8 de setembro 2018

 Guia: João Paulo Oliveira e Costa
Livro das plantas de todas as fortalezas, cidades e povoações do Estado da Índia Oriental/António Bocarro
Zanzibar
Forte de Santiago, em Quíloa
Baía de Pemba
Ilha de Moçambique
Cidade de Sofala em 1572
Hotel Polana, em Maputo

Na sua rota para a Índia, os Portugueses exploraram a costa oriental africana e fixaram-se numa série de pontos da costa, cujo centro coordenador estava baseado na ilha de Moçambique, que se tornou numa das principais escalas da Carreira da Índia, e cuja base económica se localizava em Sofala, aonde chegava o ouro vindo do Zimbabwe, O estabelecimento dos Portugueses foi possível devido à derrota do sistema muçulmano que controlava o litoral africano, cuja cidade mais importante era Quíloa. Ao longo do século XVI, os Portugueses criaram várias bases desde Mombaça até Sofala e começaram a penetrar para o interior ao longo do vale do Zambeze. Nesta viagem iremos à descoberta desses locais da primitiva instalação portuguesa na África oriental. Não sendo possível visitar o Quénia, por motivos de segurança, começaremos o nosso périplo em Zanzibar e Quíloa, na Tanzânia, para depois visitar as principais posições quinhentistas no actual território moçambicano, ao mesmo tempo que teremos oportunidade de apreciar as inconfundíveis paisagens africanas.
                                                                                                                                  João Paulo Oliveira e Costa

O CNC prossegue a sua missão de redescoberta dos sinais portugueses semeados pelo mundo. No verão de 2018 partirá para a Tanzânia e Moçambique, uma vez mais em parceria com o CHAM – Centro de Humanidades (Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa e Universidade dos Açores) e com o acompanhamento do especialista João Paulo Oliveira e Costa.

A viagem inicialmente prevista incluía visitas no Quénia que, por motivos de segurança, foram retiradas do programa.
Trata-se de mais um percurso focado no legado português dos seculos XVI e XVII, que inclui visitas a locais como Zanzibar e Quíloa na Tanzânia e, em Moçambique, Pemba, a Ilha de Moçambique, Vila de Sena e as cidades da Beira, Quelimane e Maputo,

Consulte o programa provisório AQUI

Receba mais informações através do email hserra@cnc.pt.


ORGANIZAÇÃO:                                                           PARCERIA:

                               
APOIO: 

Edição: 04 de abril de 2018