Home Sobre nós Serviços Novos sócios Bolsas Mecenas Contactos English Français
"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"
Helena Vaz da Silva LER BIOGRAFIA

Carrilhões do Palácio Nacional de Mafra

Após o Convento de Jesus em Setúbal ter feito parte, em 2013, da lista da primeira edição dos 7 monumentos e sítios mais ameaçados na Europa”, Portugal integra este ano uma vez mais a segunda edição do programa com os Carrilhões do Palácio Nacional de Mafra.

Os outros seis monumentos escolhidos são a Maquinaria de Cena do Teatro Bourla em Antuérpia na BÉLGICA; os Bairros Históricos de Dolcho e Apozari, em Castória na Grécia; a Cidadela de Alessandria em Itália; as Igrejas de madeira na Transilvânia do sul e no norte da Oltenia, na Roménia; o Bairro de Habitações Coloridas em Chernyakhovsk na Rússia; e a Sinagoga em Subótica na Sérbia.

 “É um importante reconhecimento do valor do património de Mafra” disse Guilherme d’Oliveira Martins, Presidente do Centro Nacional de Cultura, que assistiu ao anúncio feito hoje pela Europa Nostra, a principal organização europeia do património - que o CNC representa em Portugal - em conjunto com o Instituto do Banco Europeu de Investimento, num evento público em Viena, que acolhe o Congresso da Europa Nostra deste ano. Estas jóias do Património cultural da Europa estão em sério perigo, algumas devido à falta de fundos ou competência técnica, outras devido a planeamento inadequado. Medidas urgentes são necessárias. Serão organizadas ações de resgate durante e depois do Verão e propostos planos até ao final do ano.

“Esta lista é a chave para a sensibilização do património em perigo na Europa. Além destes 7 monumentos e sítios, existem inúmeros tesouros em perigo por todo o continente. Esta lista é, antes de mais, um apelo à ação. As partes interessadas, públicas e privadas, a nível local, nacional e europeu, são convidadas a unir-se para salvar os monumentos e sítios que contam a nossa história partilhada e que não devem ser perdidos por gerações futuras. Queremos também sublinhar que cuidar do nosso património comum é um investimento decisivo na sociedade e no crescimento económico da Europa”, declarou Denis de Kergorlay, Presidente Executivo da Europa Nostra.

Especialistas em Património, nomeados pela Europa Nostra e pelo Banco Europeu de Investimento, irão, depois do verão, juntamente com o painel encarregado das nomeações, visitar os 7 sítios. As equipas multidisciplinares avaliarão os sítios e contribuirão para o desenvolvimento de soluções viáveis, em conjunto com as entidades nacionais e locais, públicas e privadas. “Mais especificamente, os especialistas do EIB-I farão uma análise, aconselharão e ajudarão a formular um plano de ação possível para cada um dos 7 sítios. As nossas conclusões serão apresentadas até ao final do ano” explicou Guy Clausse, Diretor do Instituto do Banco Europeu de Investimento.

“Daremos o nosso melhor para ajudar a salvar estes 7 monumentos e sítios, oferecendo perícia técnica, identificando possíveis fontes de financiamento e mobilizando apoio generalizado. No entanto, os stakeholders nacionais terão que ter um papel decisivo, em particular os que integram o painel responsável pelas nomeações. Estar na lista dos “7 Mais Ameaçados” abre uma janela de oportunidade para salvar os sítios, mas também significa uma responsabilidade acrescida para os stakeholders nacionais”, declararam em conjunto o Presidente Executivo da Europa Nostra e o Diretor do EIB-I.

Os “7 mais ameaçados” foram selecionados pelo Conselho de Administração da Europa Nostra entre 11 sítios pré-selecionados, por um painel de peritos internacionais constituído por especialistas em História, Arqueologia, Arquitetura, Conservação e Finanças. As nomeações foram propostas por organizações de sociedade civil e organismos públicos por toda a Europa.

O programa “Os 7 monumentos e sítios mais ameaçados” foi lançado em janeiro de 2013 pela Europa Nostra, com o Banco Europeu de Investimento como parceiro fundador e o Banco de Desenvolvimento do Conselho da Europa como parceiro associado. É inspirado num programa similar de sucesso gerido nos EUA  pelo Fundo Nacional para a Preservação Histórica.  “Os 7 Mais Ameaçados” não é um programa de financiamento. Tem, antes, como objetivo servir como catalisador para a ação e promover “o poder do exemplo”.

 

 

 

CONTACTOS PARA A IMPRENSA

Europa Nostra

Joana Pinheiro, Communications Officer

E: jp@europanostra.org

T: +31 70 302 40 55

 

European Investment Bank

Sabine Parisse, Deputy Head of Division - Press Office

E: s.parisse@eib.org

T: +352 43 798 33 40; M: +352 62 145 91 59

 

CENTRO NACIONAL DE CULTURA
Teresa Tamen, Diretora-Geral de Atividades

E: ttamen@cnc.pt 
T:
 +351 21 346 67 22

 

PALÁCIO NACIONAL DE MAFRA (candidatura Carrilhões do Palácio Nacional de Mafra)

Dr. Mário Pereira

Tel. +351 261 817 550

  

PARA MAIS INFORMAÇÕES

www.europanostra.org/7-most-endangered

www.europanostra.org/advisory-panel

twitter.com/europanostra

www.youtube.com/user/EuropaNostraChannel

 

Para fotos de alta resolução:

Flickr 

 

 

 

‘Os 7 sítios mais ameaçados’

(lista por ordem alfabética por país)

 

 

Carrilhões do Palácio Nacional de Mafra, PORTUGAL

As duas torres do Palácio Nacional de Mafra apresentam o maior conjunto de carrilhões históricos. Estes excecionais instrumentos musicais, que cobrem uma extensão de 4 oitavas, são os maiores carrilhões do séc. XVIII ainda existentes no mundo. Devido a falta de manutenção ou a uma deficiente conservação, as estruturas de madeira que sustentam os sinos encontram-se em risco de colpsar. O restauro dos dois carrilhões permitiria a fruição da mais singular expressão do Barroco Europeu musical e a criação de um circuito internacional musical e cultural. Isto, contudo, só pode ser levado a cabo com auxílio técnico e financeiro.

 

Maquinaria de Cena do Teatro Bourla, Antuérpia, BÉLGICA

O Bourla é o último teatro municipal ainda existente na Europa com maquinaria de cena original, criado pela companhia francesa Philastre e Cambon em 1834. A maquinaria de cena, bem como o edifício neo-clássico do arquiteto belga Pierre Bourla, foram, na verdade, totalmente restaurados por ocasião de Antuérpia Capital Europeia da Cultura, tendo inclusive recebido um Prémio Europa Nostra. Se a histórica e ainda operacional maquinaria existente na torre cénica e debaixo do palco forem desmanteladas e substituidas por equipamento moderno - conforme proposta da companhia residente – um dos únicos teatros da Europa onde óperas e peças teatrais do séc. XIX podem ser encenadas de forma autêntica ficará irremediavelmente perdido.

 

Bairros Históricos de  Dolcho e  Apozari, Castória, GRÉCIA

Os bairros de Dolcho e Apozari, com as suas igrejas medievais e  casas senhoriais dos sécs. XVIII e XIX, fazem da cidade junto ao lago de Castória uma das mais originais do sudeste da Europa. Desde a 2ª Guerra Mundial, a cidade sofreu danos assinaláveis em resultado do crescimento populacional e da construção de blocos de apartamentos. A crise económica e a elevada taxa de desemprego agravaram a situação. Esforços conjuntos por parte das  autoridades locais,  de ONGs e de parceiros privados permitiram a reabilitação dos edifícios históricos, mas torna-se necessário um maior apoio a nível nacional e europeu. Esta reabilitação seria um instrumento crucial para ultrapassar a crise a nível local.

 

Cidadela de Alessandria, ITÁLIA

Trata-se da mais importante fortaleza hexagonal na Europa, segundo a UNESCO, em cuja Lista Provisória se encontra inscrita desde 2006. Estendendo-se por uma área superior a 74 hectares, a Cidadela de Alessandria é um exemplo perfeito de uma fortaleza de tipo moderno. Construida entre  1732 e 1808, foi palco de vários momentos-chave na história, quer da Itália, quer da Europa. A principal ameaça ao monumento é a proliferação de um tipo de erva daninha muito invasiva, cujas raízes estão a danificar seriamente as muralhas. A comunidade e as autoridades locais  estão fortemente empenhadas em tornar a Cidadela viável, mas necessitam de know-how (inter)nacional e auxílio financeiro.

 

 

Igrejas de madeira na Transilvânia do sul e norte da Oltenia, ROMÉNIA

Pequenas comunidades construíram estas estruturas vernaculares utilizando madeira das densas florestas da Roménia e técnicas tradicionais de construção, nos sécs. XVIII e XIX. A arquitetura modesta destas igrejas é realçada pela sua localização privilegiada e pelas suas pinturas murais artísticas. Apesar da sua importância histórica, social e cultural, muitas igrejas foram abandonadas ao longo das ultimas décadas,devido à sua reduzida capacidade e falta de comodidades, encontrando-se atualmente em avançado estado de degradação. A comunidade local tem feito esforços significativos no sentido de uma recuperação e reutilização destes edifícios religiosos, mas tem de ser apoiada a nível nacional e europeu.

 

Bairro de Habitações Coloridas em Chernyakhovsk, RÚSSIA

Construído em 1924, o Bairro de Habitações Coloridas é o único exemplo que resta dos  trabalhos da fase inicial do reputado arquiteto alemão Hans Scharoun na antiga Prússia de Leste. É um protótipo da arquitetura moderna doméstica e um precursor imediato de outros projetos pioneiros de habitação social na Alemanha, tais como a Siemensstadt em Berlin (classificada pela UNESCO em 2008), na qual Scharoun esteve igualmente envolvido. Restaurar as Habitações Coloridas é um desafio técnico e financeiro que tem de ser enfrentado com cooperação (inter)nacional. A sua renovação e a criação de um centro de investigação poderiam estimular a economia local.

 

Sinagoga em Subótica, SÉRVIA

Trata-se de um dos mais melhores exemplos da arquitetura religiosa  Art Nouveau da Europa Central. Desenhada pelos arquitetos húngaros Marcell Komor e Dezsö Jakab e construída em 1902, a Sinagoga de Subótica alia uma estrutura moderna em betão e metal a elementos decorativos tradicionais da arte folclórica húngara. Outrora templo espiritual da grande comunidade judaica da região, a sinagoga encontra-se votada ao abandono desde a 2ª Guerra Mundial. Apesar dos trabalhos de reabilitação levados a cabo nas últimas décadas, o edifício encontra-se seriamente ameaçado. São necessários o auxílio técnico e a solidariedade internacionais para salvar esta preciosidade arquitetónica e cultural.

 Outras Informações:

 EUROPA NOSTRA é uma federação europeia de organizações do Património. Englobando  50 países da Europa e não só, esta organização é a voz da sociedade civil na salvaguarda do património cultural e natural da Europa. Fundada em 1963 em Paris, a Europa Nostra tem a sua sede em Haia e uma delegação em Bruxelas. A sua rede pan-europeia inclui 250 ONGs do Património contando com  vários milhões de associados, entre 150 entidades publicas, empresas privadas e ainda 1500 sócios individuais. A Europa Nostra luta pela salvaguarda dos monumentos, dos sítios históricos e das paisagens culturais em risco. Também distingue a excelência através dos Prémios Europeus do Património, organizados em parceria com a União Europeia. Procura ainda exercer influencia sobre as políticas europeias e nacionais relativas ao Património.  Plácido Domingo, o famoso cantor, é o presidente de Europa Nostra. É representada em Portugal pelo Centro Nacional de Cultura.

www.europanostra.org

 

Sobre o Banco Europeu de Investimento (BEI) e o Instituto BEI:

 

Banco Europeu de Investimento (BEI)  é a instituição de empréstimos a longo prazo para a União Europeia, propriedade dos seus estados-membros. Ele possibilita financiamento a longo prazo para bons investimentos por forma a contribuir para os objetivos das políticas da União Europeia. www.eib.org

 

Instituto BEI promove iniciativas europeias para o bem-comum. Foi criado como parte do Grupo BEI (Grupo do Banco Europeu de Investimento) em janeiro de 2012, com o objetivo de atuar como um catalisador para as atividades sociais, culturais, educativas e de investigação dirigidas ao desenvolvimento económico e social na Europa. Informações detalhadas sobre as atividades do Instituto BEI podem ser consultadas no site http://institute.eib.org

 Sobre o Banco de Desenvolvimento do Conselho da Europa (CEB):

CEB é “o banco social da Europa”. Banco de desenvolvimento multilateral que engloba 40 estados-membros do CE, representa um  instrumento principal da política de solidariedade na Europa. A preservação do património cultural da Europa enquadra-se no âmbito das suas competências. www.coebank.org

Edição: 22 de maio de 2014