Home Sobre nós Serviços Novos sócios Bolsas Mecenas Contactos English Français
"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"
Helena Vaz da Silva LER BIOGRAFIA

Silvia Pinto Coelho

Nasceu em Coimbra (1975). Iniciou os seus estudos de dança na Academia de Bailado Clássico Pirmin Treku (1981/93). É bacharel em Dança, E.S.D.(1996), licenciada em Antropologia pela F.C.S.H., Universidade Nova de Lisboa (2005), mestre em Cultura Contemporânea e Novas Tecnologias (2010) pela mesma faculdade, onde também desenvolve o seu projecto de doutoramento em Comunicação e Artes com o título Corpo, Imagem e Pensamento. Fez o Curso de Intérpretes de Dança Contemporânea do Forum Dança (1997/99). Frequentou diversos workshops em: Portugal, Alemanha, França, Holanda, Itália, Roménia e Inglaterra de: técnicas de dança contemporânea e clássica, composição, improvisação, e produção. Frequentou aulas de canto, de música, de artes plásticas e de vídeo. Na sua formação destaca: Ann Papoulis, David Zambrano, David Hernandez, Deborah Hay, Francisco Camacho, Howard Sonenklar, Jeremy Nelson, Jess Curtis, João Fiadeiro, Lisa Nelson, Margarida Bettencourt, Mark Tompkins, Martha Moore, Olga Mesa, Peter Michael Dietz, Sofia Neuparth, Stephanie Maher, Thierry Bae, Wil Swanson e Xavier Le Roy. Em Berlim, durante três anos (2002/2005), frequentou aulas diárias com vários professores e participou como convidada em ensaios de vários projectos de artistas berlinenses. Foi bolseira do Centro Nacional de Cultura para a dança em 2003/2004. Participou no projecto de improvisação contínua (12horas) de Stephanie Maher, bem como nas jam sessions semanais do K77. É autora dos projectos coreográficos: Insectos, Porto, 1997; Corar, Coimbra e Almada, 1999; Instalação Para Tanque Circular, CENTA 1999; Capítulo da Indiferença ou Algo Semelhante, Lisboa, 2000; Kula, Berlim e Leipzig, 2004, juntamente com Anka Baier e Gyuri Barkoczi; Einzimmerwohnung, Lousã, Vila Real, Berlim e Almada 2005, Madrid 2006, Lisboa e Porto 2008; Süss, Berlim 2007, Lisboa 2008; DOCE, Lisboa 2008; Un Femme, Lisboa 2009. Participou como intérprete na peça Minimally Invasive de Paulo Henrique, 1999 e 2001. Integra o elenco da peça B-File encenada por Paulo Castro 2004/2007. Integra o projecto de pesquisa e pedagogia de Cláudia Dias 2009/2010, fazendo parte do elenco de Vende-se País Solarengo com Vista Para o Mar. Integra o elenco da peça Homem Feito de Lígia Soares e de Andresa Soares, 2010, de O Homem e o Urso de Lígia Soares, 2011 e de Nem Tudo o Que Fazemos Tem de Ser Dito.... de Cláudia Dias. Participou nos Lab7 (REAL/João Fiadeiro, 1997) e em diversos encontros e discussões sobre produção, programação e políticas culturais (APPD, A importância do programador…, 10+10…, Maratona para a Dança), bem como em mostras informais (AND Lab, MIMAP, dia mundial da dança, festival Lupa e festival danço, destacando a apresentação dos trabalhos em processo: Sopro (2013), Aprés 7 Ans de Malheures, Elle Brisa Son Miroir (2011), The Awereness Trap (2007), De Fantasmas e Parasitas (2010) com Rita Lucas Coelho e Lume Brando (2008) de Elena Castilla). É colaboradora do grupo Descampado (uma proposta de dilatação do tempo com coreógrafos à procura de outras formas de pensar e trabalhar hoje) com Márcia Lança, Luciana Chieregati e Ibon Salva (2013).

Foi sócia fundadora da produtora Pele Filmes, tendo participado na produção dos documentários: Grupo Puzzle e Confesso, e no processo de investigação e castings da longa-metragem de ficção: Body Rice de Hugo Vieira da Silva. Actriz nos vídeos O Castelo Preto de Jack Shamblin e Der Traum (2007) de Nuno Cera, entra também no documentário Outras Cartas Portuguesas (2012) de Leonor Noivo. Leccionou aulas regulares e workshops no K77 em Berlim, e na Prodança, c.e.m., Forum Dança, Externato Cesário Verde, Fundação Liga e em vários ginásios de Lisboa. É sócia e colaboradora da Máquina Agradável associação cultural e do Atelier Real. É também investigadora no Centro de Estudos de Comunicação e Linguagens de Lisboa e colabora do Sense Lab de Montréal onde esteve três meses, 2012. Colaboradora do Baldio, cluster de Performance Studies em Portugal. Organiza encontros informais no seguimento das primeiras concentrações do Rossio 2011 para pensar temas relacionados com arte e política. Organiza também grupos de trabalho para práticas de atenção como um grupo de leitura, ou um outro de tradução.

 

Publicações:

2014 «Na Casa-Espelho: Propostas Ético-Estéticas de Pensamento Coreográfico» (aguarda reposta para publicação na revista online Inflexions, http://www.senselab.ca/inflexions/)

2013 «Dançar-Pensar Enquanto Investigação e Poética: Movimento #1» in Actas do Colóquio Movimento e Mobilização Técnica, CECL, FCSH, Lisboa (no prelo).

«Dançar-Pensar Enquanto Investigação e Poética» in Cardoso, José Carlos (ed.). Pessoas e Lugares - Pensar com as Práticas Artísticas. Um catálogo, Sment, Barcelos (no prelo).

Recensão do livro Always More Than One: Individuation’s Dance (Sempre Mais do que Um: A Dança da Individuação) de Erin Manning in Revista de Comunicação e Linguagens nº45, CECL, FCSH, Lisboa (no prelo).

2012 «Os Tuning Scores de Lisa Nelson», «Go de Lisa Nelson e Scott Smith» in Ciclo Improvisações/Colaborações. Auditório da Fundação de Serralves, Porto.

2008 Recensão do livro Dança Teatral, Ideias, Experiências, Acções de Maria José Fazenda, Lisboa, Celta Editora 2007, in Arquivos da Memória, Outro país - novos olhares, terrenos clássicos nº4, 2008. Centro de Estudos de Etnologia Portuguesa. Lisboa.

2007 «Melancolia e Coreografia» in Babo, Maria Augusta, Melancolia: http://melancolia.eusou.com/

2001 «10+10...+10» com o grupo «Novos» in 10+10 Contributo para uma Cartografia da Dança Contemporânea em Portugal, Forum Dança e RE.AL/Resposta Alternativa, Lisboa.