Home Sobre nós Serviços Novos sócios Bolsas Mecenas Contactos English Français
"É de Cultura como instrumento para a felicidade, como arma para o civismo, como via para o entendimento dos povos que vos quero falar"
Helena Vaz da Silva LER BIOGRAFIA

Cursos Livres

Cursos curtos (8 a 12 sessões) ao fim da tarde sobre temas diversos das Artes, Ciências e Letras, orientados por especialistas dentro das áreas lecionadas. Preços reduzidos para jovens e seniores.
Documentos para download
2º TRIMESTRE DE 2017

[A] XAILES DE PRIMAVERA

«Xailes de primavera» constitui um itinerário em 6 sessões, que se propõe testemunhar o quanto uma pequena história pode ser a grande sabedora no descobrir e compreender realidades que em nós habitam. Propomo-nos tomar como caução histórias publicadas e, através delas, projetarmos espaços de diálogo, no aconchego que advém do individuo coincidir com o mundo e nele encontrar uma existência a partilhar. Serão distribuídos pequenos textos de histórias cujos títulos desde logo visam provocar um agarrar o tempo, numa relação de abertura com o espírito da escrita, por oposição à profissionalização das palavras. Esse tempo pretende, serenamente, constituir-se também como encruzilhada de esperanças, quantas vezes até mágicas, no espaço dos encontros destes Xailes.

COORDENAÇÃO: Teresa Bracinha Vieira

HORÁRIO: quintas-feiras; das 18h às 19h30

DURAÇÃO: 6 sessões; de 27 de abril a 1 de junho

[B] SABORES LUSOS: VIAGENS DE DESCOBERTA

O objetivo deste Curso é desenvolver uma reflexão sobre a influência portuguesa noutras cozinhas, resultante, sobretudo, dos contatos que, a partir dos séculos XV e XVI se começaram a estabelecer com outras culturas. Se, por um lado, deixámos um testemunho, por outro, também descobrimos novos ingredientes e mesmo novas técnicas de preparação dos alimentos que ajudaram a transformar a nossa cozinha. A viagem começa em Marrocos e termina no sudeste asiático, mas antes de partirmos importa conhecer a alimentação que praticávamos quando nos lançámos nas grandes viagens marítimas. Algumas obras ajudam a caraterizar este período, mas importa também introduzir uma visão mais abrangente das cozinhas de tradição católica na Europa antes de procurarmos compreender os desafios e as surpresas que estão reservadas aos portugueses no decurso destas viagens. Começamos por referir o continente africano, tanto a costa ocidental como a oriental, para depois seguirmos para a Índia. Em África, faremos também uma viagem no tempo, até épocas mais recentes e falaremos da cozinha colonial. Na Índia, entraremos em contacto com as cozinhas Hindu e Islâmica. Garcia de Orta e o Colóquio dos Simples acompanham-nos na estadia em Goa. Da Índia partiremos para o sudeste asiático, mais precisamente para a Birmânia e Tailândia, onde o ouro dos fios de ovos nos aguardam. Já quase no fim do périplo, aportamos ao Brasil onde deambularemos de norte a sul à procura de sabores de raiz portuguesa ou africana.

1ª Sessão: A cozinha dos impérios: uma perspetiva historiográfica à organização do curso. Alimentação e medicina na obra de Galeno (130-210). Da cozinha do Império Romano, à cozinha de raiz católica e à expansão portuguesa. A problemática da conservação dos alimentos.

2ª Sessão: À descoberta de novos mundos. A cozinha marroquina e as influências da cozinha árabe. O Livro de receitas da Infanta Dona Maria (século XVI). Uma viagem pelo norte de África.

3ª Sessão: Hábitos e culturas alimentares africanas: Guiné, Cabo Verde, Angola e Moçambique. Os ingredientes e as técnicas de preparação. A cozinha do período colonial.

4ª Sessão: A cozinha dos antigos territórios portugueses na Índia. Encontros com as cozinhas Hindu e Islâmica. O Colóquios dos Simples e Drogas da Índia de Garcia de Orta. A Arte de Cozinha de Domingos Rodrigues (século XVII).

5ª Sessão: Uma viagem gastronómica pelos reinos do Sirião (Myanmar) e do Sião (Tailândia). D. Maria Guiomar de Pina (1664 -?) e os doces de ovos tailandeses. A cozinha Budista.

6ª Sessão: A cozinha brasileira. Influência africana. Os sabores do Rio de Janeiro e de outras regiões. A cozinha do sul e a influência açoriana. A influência portuguesa na perspetiva de Luís da Câmara Cascudo (História da Alimentação no Brasil, 1962).

COORDENAÇÃO: Filomena Amador

HORÁRIO: terças-feiras; das 18h30 às 20h

DURAÇÃO: 6 sessões; de 2 de maio a 6 de junho

[C] AS IDEIAS RELIGIOSAS DO ESTADO ISLÂMICO/DAESH

1ª sessão: Terrorismo, narrativas laicas e narrativas religiosas. O terrorismo laico e o terrorismo religioso

2ª sessão: Islão, islamismo, salafismo e jihadismo. Jihad e jihadismo.

3ª sessão: As três gerações do Jihadismo segundo Kepel - jihadismo e terrorismo. Da Al-Qaeda ao Estado Islâmico

4ª sessão: As ideias apocalípticas do Daesh e os tempos da Djailiyah. A “Gestão da Barbárie”.

5ª sessão: Propaganda, recrutamento e radicalização. os “combatentes estrangeiros”. A tática da Taqqiya.

6ª sessão: As “terras da Jihad”: passado. presente e futuro.

COORDENAÇÃO: José Manuel Anes

HORÁRIO: segundas-feiras; das 18h30 às 20h

DURAÇÃO: 6 sessões; de 8 de maio a 19 de junho (12 de junho não há)

>> TABELA DE PREÇOS E INSCRIÇÕES